Em Cristo estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. (Colossenses 2:3)


Ninguém vos engane com palavras vãs;
porque por essas coisas vem a ira de Deus
sobre os filhos da desobediência.
(Efésios5:6)
Digo isso a vocês para que não deixem que ninguém
os engane com argumentos falsos.
(Colossenses 2:4)

10 de agosto de 2011

O DOM ESPIRITUAL DE EXORTAÇÃO

 
(Rm 12:8)

DEFINIÇÃO: O Dom espiritual de EXORTAÇÃO é a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para ministrar palavras de conforto, consolo, encorajamento, ânimo e conselho a outros membros do Corpo, de tal forma que estes se sintam ajudados emocional e espiritualmente.

PARAKLESIS = Chamar alguém ao lado da gente, ou seja, a pessoa com este Dom é chamada a estar ao lado daquele que necessita de exortação (conforto, ânimo, etc.).

O crente com este Dom frequentemente toma a iniciativa, “chegando ao lado” por reconhecer a necessidade do outro; não espera ser chamado. Compartilha sua própria confiança na provisão de Deus e na Sua fidelidade, e confirma isso compartilhando suas próprias experiências com Deus.

Um engano comum: Pensar que “exortar” significa pregar aos gritos, com gestos largos, apontar o dedo, etc.

Quem exorta no sentido bíblico chega ao lado do necessitado para ajudar emocional e espiritualmente; fortalecendo o fraco, amparando aquele que vacila, apoiando aquele jogado de um lado para outro pelas circunstâncias, consolando o aflito, encorajando e animando aquele que está “mancando”. Este é um dos ministérios do Espírito santo que é dado, de maneira especial, a alguns no Corpo de Cristo.
 
CARACTERÍSTICAS COMUMENTE DISCERNIDAS NUMA PESSOA COM ESTE DOM:

1 – Dirige palavras de ânimo e encorajamento, ou consolo e conforto, aos que se sentem ajudados emocional e espiritualmente e motivados à ação (1Ts.5:11 e 2:12).
2 – Freqüentemente tem um ministério leigo ou profissional de aconselhamento, pois as pessoas espontaneamente se abrem com ele.
3 – Apoia e fortalece o fraco na fé e o novato na vida cristã.
4 – Tem a capacidade de ver que a tribulação pode produzir níveis mais avançados na maturidade cristã (Rm.8:28,29; At.14:22).
5 – É uma pessoa que fortalece e anima outra numa situação que esta não pode enfrentar sozinha.
6 – Figurativa ou literalmente caminha com seu braço ao redor daquele que está sendo exortado.
7 – Estimula “ao amor e às boas obras”(Hb.10:24), querendo que todos cultivem o hábito de se incentivar mutuamente (Hb.3:13).
8 – Reconhece que experiências humanas podem ser validadas. Exemplificadas e ampliadas pelas Escrituras. Gosta de usar ilustrações pessoais.
9 – É muito procurado para conversas do tipo “desabafo”.
10 – Diante de uma pessoa ou situação que apresenta características negativas de pecado, procura e identifica algo aproveitável e enfatiza isto; em seguida, procura rapidamente “aparar” o que está errado, sem estabelecer confronto entre pessoas ou grupos.
11 – Em geral é uma pessoa otimista: “Fique calo que tudo vai dar certo”.
12 – Está sempre disponível, muitas vezes com sacrifício de seus interesses pessoais.
13 – Aprecia pessoas desejosas de seguir um plano de ação para alcançar um alvo. Procura ajudá-las a visualizar uma realização específica na sua vida espiritual, pessoal ou profissional, e escolher passos precisos a tomar.
14 – Observa as reações dos participantes, quando fala para grupos, e toma a aceitação transmitida pela atenção, olhares, postura etc. do auditório como retorno indicativo da eficiência do exercício do Dom naquela hora. Poderá ficar desestimulado quando falta esse retorno.
15 – Sente pesar quando o ensino bíblico não é acompanhado por orientação de como colocá-lo em prática.
O pastor Jerônimo costuma “completar” os estudos bíblicos, palestras etc. de outros dirigentes na sua igreja, quando omitem a aplicação da Palavra. Às vezes faz isto na hora, falando ou orando. Outras vezes, logo que haja oportunidade, faz um rápido resumo do estudo e utiliza a metade do tempo nem estudo dinâmico de grupo, levando os participantes a pensarem seriamente na aplicação prática da Palavra em suas vidas.
Reconhecer, através dessas características, que possui de exortação não basta. O irmão ou irmã com este Dom tem uma responsabilidade séria de manter-se sensível ao ministério do Espírito Santo na sua própria vida, para que tenha condições espirituais de ser um canal aberto e desobstruído à disposição de Deus para servir ao próximo no exercício deste Dom.

ALGUMAS CONCEPÇÕES ERRÔNEAS EVENTUAIS E POSSÍVEIS MAL-ENTENDIDOS DOS QUE NÃO TEM E NÃO ENTENDEM O DOM ESPIRITUAL DE EXORTAÇÃO
POR ENGANO, TERCEIROS PODEM TACHAR O POSSUIDOR DESTE DOM DE:
POR AGIR DA SEGUINTE MANEIRA:
1 – Despreocupado com o erro de uma pessoa ou de uma situação; cego para a realidade.Por enfatizar o positiva antes de tratar daquilo que está errado, e/ou por ser otimista espontaneamente.
2 – “Espalhador”.Por despender muito tempo em conversas, às vezes com pessoas que não estão dispostas a seguir seus conselhos.
3 – Manipulador da Palavra (tirando-a de seu contexto).Por se importar em validar experiências e fazer aplicações práticas.
4 – Simplista; confiante demais em planos.Por tentar traçar planos para resolver problemas alheios.

ALGUNS ERROS QUE O POSSUIDOR DESTE DOM DEVERÁ EVITAR E RISCOS E PERIGOS QUE PODERÁ ENFRENTAR:

1 – Deixar de perceber aquilo que Deus está fazendo na vida do outro através de seu problema. Aconselhar no seu entusiasmo e desejo de servir, sem estar afinado com Deus, que sabe melhor do que ele o que é necessário em cada circunstância.
2 – Tratar superficialmente a ferida de alguém, movido pelo desejo de animar e confortar, mas sem usar o tempo adequado para tomar conhecimento da situação real. O indivíduo que está sendo “exortado” mas, ao mesmo tempo, machucado, sente que o exortador é insensível e precipitado no falar.
3 – Negligenciar sua responsabilidade de tentar “aparar” o que está errado na pessoa ou grupo, o mais rápido possível, desequilibrando assim a situação.
4 – Criar situações embaraçosas ou comprometedoras se for imprudente ao aconselhar alguém do sexo oposto, com entrevistas muitos frequentes. Apesar de sua boas e sinceras intenções de resolver problemas, poderá ocorrer um envolvimento por demais perigoso.
5 – Colocar-se ao lado de alguns que recusam a sua ajuda e, por esta recusa, tentar se impor sem criar condições que favoreçam a ajuda. (Este não será o caso do possuidor dos dons de exortação e misericórdia.).
6 – Simplificar demais um problema, reduzindo a solução a um série de “passos a tomar”, menosprezando elementos essenciais para uma solução verdadeira, orientada pelo Espírito Santo.
7 – Dar a entender que está censurando ou cobrando, quando deveria deixar espaço e tempo para outro refletir e tomar posse da “exortação” já recebida.
8 – Exercer o Dom unilateralmente, numa situação confusa em que obviamente alguém está mentindo, é insincero ou hipócrita, sem o respaldo de qualquer dos três dons que detectam facilmente a falsidade alheia.
9 – Criticar os irmãos que não incentivam outros espontânea e constantemente.
10 – Colocar-se em situação de prejuízo pessoal, arriscando-se até mesmo a ser explorado por abrir mão facilmente de seus direitos, vontade e desejos.

EXEMPLOS BÍBLICOS DE EXORTAÇÃO ê PARAKLESIS

Notando o grande número de palavras, em português, que são usadas para traduzir o termo:
1 – At.4:36 – José Barnabé (apelido). Várias traduções: “filho de consolação”, “filho de exortação”, “o pregador”, “aquele que dá coragem”. – “Barnabé ficou tão imbuído pelo Dom de EXORTAÇÃO que ele estava pronto a se separar da companhia de um grande amigo e colega missionário (Paulo) para não ser privado de um oportunidade importante de exercer esse Dom. Ao entender de Barnabé, Marcos tinha uma necessidade maior da companhia dele e de sua “exortação” do que o próprio Paulo.”( Baxter)
2 – 2 Co.1:3, 7 – Deus CONSOLA Paulo.
3 – At.14:21,22 – Paulo e Barnabé CONFORTARAM os crentes.
4 – At.20:1 – Paulo CONFORTOU a Igreja.
5 – At.5:1,2 – Timóteo, jovem pastor EXORTA a congregação.
6 – Outras passagens apresentam as mais variadas traduções: Mc.5:18 – SUPLICAR; At.8:31 – CONVIDAR (em algumas traduções é ROGAR); 1Co.16:12 – RECLAMAR.
Estes são apenas alguns dos exemplos bíblicos para mostrar a diversidade do significado de “exortação”, e a importância de compreender a amplitude  deste Dom e da função cristã.
Comparação entre o PROFETA e o EXORTADOR, diante da mesma situação:

EXORTADOR
PROFETA
1 – O exortador, apesar de perceber o erro do ponto de vista de Deus, nos planos ou comportamento do outro, procura identificar algo aproveitável e enfatiza isto primeiro. Figurativa ou literalmente tem seu braço ao redor do ombro daquele que está sendo aconselhado. Caminha com a pessoa ou grupo, ampliando o campo positivo.1 – O profeta identifica aquilo que está errado aos olhos de Deus nos planos ou comportamento do outro e parte para corrigi-lo sem rodeios. Frente a frente, penetra fundo nos olhos daquele com quem conversa.
2 – Em seguida, incentiva a correção, partindo para alcançar mudanças radicais, através de pequenas modificações, feitas paulatinamente. Mantém-se otimista, mesmo quando a reação é lenta ou quase imperceptível.2 – Em seguida caminha junto com a pessoa ou grupo que aceita sua abordagem. Com insistência, conduz o outro a tomar grandes decisões imediatamente. Poderá ficar apático para com o estado do indivíduo que não recebe  ou não age conforme a correção.
3 – Ao mesmo tempo, tenta “aparar” o que percebeu de errado, o mais rápido possível, sem confrontar a pessoa ou grupo.3 – Às vezes, perde a pessoa ou grupo que se recusa a aceitar sua avaliação e admoestação.

Pode ser difícil, mas é importante que os possuidores destes dons se compreendam e cooperem para o bem maior do Corpo de Cristo. Há hora certa para repreender e há hora certa para exortar (incentivar, animar). Obviamente ninguém tem estes dois dons ao mesmo tempo. São eliminatórios.

Diante da mesma pessoa ou situação:
Comparação do Dom de EXORTAÇÃO com o de MISERICÓRDIA:

EXORTAÇÃO
MISERICÓRDIA
1 – O possuidor deste Dom identifica-se com o problema de uma pessoa.1 – O possuidor deste Dom identifica-se com uma pessoa que tem problemas. Sente na pele aquilo que ela sente.
2 – Envolve-se com o problema, procurando tirar a pessoa de sua situação emocional, encorajando-a e mostrando-lhe alternativas de vida. Oferece apoio, companhia e segurança no processo de tirá-la da crise.2 – Envolve-se  com ela, procurando colocar-se em sua situação, oferecendo-lhe apoio, companhia e segurança onde ela está, no meio do problema.
3 – A pessoa necessitada sente-se fortalecida e animada, principalmente através de palavras motivadas pelo amor.3 – A pessoa necessitada sente-se compreendida e consolada, principalmente através de atos motivados pelo amor.

A FUNÇÃO CRISTÃ DE EXORTAR

Lloyd  Ogilvie comenta que “desânimo é o filho ilegítimo de falsas expectativas”. Esse “filho” se faz presente no círculo de todo servo do Senhor. A FUNÇÃO de exortar é de todos nós: de incentivar o desanimado, ajudando-o a ter  expectativas reais; de confortar e “andar junto”. Is.50:4 na Bíblia Viva fala disto: “O Senhor me ensinou sua palavras de sabedoria, para que eu possa animar o que está fracos e cansado. Todas as manhãs Ele me acorda e me ensina a escutar e entender as suas palavras.
ê Ver também Hb.10:24; 1Ts.4:1, 10; 5:14; 1Tm.5:1,2.

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO

1 – Por acaso você se identificou com o Dom de EXORTAÇÃO?
2 – como é que você, que se identificou com o Dom de EXORTAÇÃO, está cooperando ou gostaria de cooperar com irmãos com outros dons, na edificação do Corpo e para o crescimento numérico da Igreja?
3 – E você, que não se identifica com este Dom, como vai procurar se relacionar melhor com os irmãos que o tenham? Ou seja, como você receberá o exercício do Dom de EXORTAÇÃO por parte de outros?

2 comentários:

  1. Parece-me que Deus está esta semana me falando sobre o dom de exortar, mais do que sempre fez.
    Deus me deu este dom e o tenho usado há quase 40 anos. Só que estes dias ele deve estar me preparando para coisas mais desafiadoras nesta área.
    Com certeza, o Espírito me trouxe até aqui, aleluia!
    Gostei de conhecer este blog.
    Graça e paz!

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz, Denise! O dom de exortar é maravilhoso: é ter paciência e compaixão apesar de, é encorajar o desanimado. Que Deus se manifeste poderosamente na sua vida e na vida dos que Ele tem lhe confiado, através dos dons que Ele tem lhe dado.

    ResponderExcluir